Destaques
recent

Um resumo sobre a celebração da "Eleição" e os "Escrutínios"

OS 4 tempo do catecumenado são marcadas por três celebrações litúrgicas: a primeira, "celebração de admissão" marca o encerramento do primeiro tempo o “Pre-Catecumenato”, a segunda, "celebração da eleição ou Inscrição do nome",  marca o encerramento do segundo tempo "Catecumenato" e inicia o terceiro tempo “Purificação e Iluminação”; e a terceira é a "celebração dos sacramentos", marca o início do quarto tempo a “Mistagogia”.

Quaresma: Terceiro Tempo "Iluminação e Purificação"
1º Domingo da Quaresma: Celebração de Eleição ou Inscrição do nome
3º, 4º, 5º Domingo da Quaresma: Escrutínios 1,2 e 3
Vigília Pascal: Sacramentos IVC
Entrega dos Símbolos da fé (Oração dos Apóstolos – “Credo” e Oração do Senhor - “Oração dominical ou Pai Nosso”), após terceiro escrutínio.

Um resumo sobre a celebração de "Eleição" e os "Escrutínios", segundo o RICA.

24. A partir do dia da sua «eleição» e admissão, os catecúmenos passam a ser designados pelo nome de «eleitos». Também se dizem «competentes», porque caminham em conjunto para receberem os sacramentos de Cristo e o dom do Espírito Santo. Chamam-se também «iluminandos», porque o próprio Baptismo se chama «iluminação» e porque por ele os neófitos são iluminados pela luz da fé. Contudo, em nossos dias, podem usar-se também outros termos que, segundo a diversidade das regiões e culturas, estejam mais ao alcance de todos, e sejam mais conformes ao génio das diferentes línguas.

25. Durante este tempo, os catecúmenos são objecto de uma preparação interior mais intensa. Esta tem mais em vista o recolhimento espiritual do que a catequese, e destina-se à purificação do coração e da mente, através do exame de consciência e da penitência, e à sua iluminação por meio do conhecimento mais aprofundado de Cristo Salvador.

1) Os «escrutínios», que devem ser celebrados solenemente ao domingo, têm em vista o duplo fim acima referido, a saber: pôr a descoberto o que no coração dos eleitos possa haver de fraqueza, enfermidade ou malícia, para que seja curado, e o que há de bom, válido e santo, a fim de o fortalecer.
3) No dia da eleição procurem, na medida em que for oportuno, dar o seu testemunho, justo e prudente, sobre os catecúmenos, uma vez que se trata do crescimento da própria comunidade.
4) No tempo da Quaresma, isto é, no tempo da purificação e da iluminação, sejam assíduos aos ritos dos escrutínios e das «tradições», e tragam aos catecúmenos o exemplo da própria renovação em espírito de penitência, de fé e de caridade.

52. O s «escrutínios» fazem-se no III, IV e V domingo da Quaresma e, em caso de necessidade, podem fazer-se noutros domingos da mesma Quaresma ou até nos dias feriais da semana que se julguem mais indicados.

53. Desde a antiguidade que as «tradições» pertencem a este tempo da purificação e da iluminação, uma vez que se fazem depois dos escrutínios. Celebrem-se, porém, ao longo da semana. A «tradição» do Símbolo faz-se depois do primeiro escrutínio; a tradição da Oração dominical, depois do terceiro. Contudo, se do ponto de vista pastoral
se julgar mais oportuno, para que se torne mais rica a liturgia do tempo do catecumenado, as tradições podem transferir-se para o tempo do catecumenado e serem celebradas à maneira de «rito de transição» (cf. nn. 125-126, p. 77).

54. N o Sábado Santo, quando os eleitos, que se abstêm do trabalho (cf. acima n. 26, p. 30), se entregam à meditação, podem realizar-se os vários ritos imediatamente preparatórios: a «redição» do Símbolo, o rito do «Effathá», a escolha do nome cristão e mesmo a unção com o Óleo dos catecúmenos (cf. nn. 193-207, pp. 118-125).

55. O s sacramentos da iniciação dos adultos celebrem-se na própria Vigília pascal (cf. n. 8, p. 23 e n. 49, p. 37). Se o número dos catecúmenos for muito grande, dão-se os sacramentos à maior parte deles nesta mesma noite, e os restantes podem ficar para os dias dentro da oitava da Páscoa e ser renovados pelos sacramentos nas igrejas
principais ou até nas estações secundárias. Neste caso, toma-se a Missa própria do dia ou a Missa ritual da iniciação cristã, usando mesmo as leituras da Vigília pascal.

61. A «eleição» celebre-se cerca de seis semanas antes dos sacramentos da iniciação, de modo que haja tempo suficiente para os «escrutínios» e as «tradições».

62. O s «escrutínios» não devem celebrar-se nas solenidades, mas nos domingos ou até mesmo durante a semana, guardando entre eles os intervalos do costume e fazendo as leituras que vêm indicadas no Ritual. Os formulários da Missa serão os do dia ou os da Missa ritual, como adiante se indica no n. 374 bis, p. 244.

158. Os escrutínios serão celebrados pelo sacerdote ou pelo diácono com a presença da comunidade à qual preside, para que os próprios fiéis possam aproveitar da liturgia dos escrutínios e tomar parte nas orações pelos eleitos.

159. Os escrutínios fazem-se nas Missas próprias dos escrutínios, que se celebram nos domingos III, IV e V da Quaresma; escolham-se as leituras do ano «A», com os respectivos cânticos, como vêm no Leccionário da Missa. Se, por motivos de ordem pastoral, não puderem ser celebrados nestes domingos, escolham-se outros domingos da Quaresma ou até os dias feriais mais convenientes.

Fonte: Rica
Joylson Carvalho

Joylson Carvalho

Web Developer, catequista por vocação desde 1998. Desde 2011 tenho me dedicado a estudos, vivências e praticas da IVC, desde então tenho ajudado na implementação da Iniciação a Vida Cristã com inspiração catecumenal, nas comunidades da arquidiocese de Manaus.

Comentários
0 Comentários

Olá, se esse post ajudou você de alguma forma, deixe seu comentário ele é muito importante para nós.!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Olá, se esse post ajudou você de alguma forma, deixe seu comentário ele é muito importante para nós.

Tecnologia do Blogger.