Destaques
recent

Escrutínius

Rica - [154]. O s escrutínios têm uma finalidade sobretudo espiritual e realizam-se por meio dos exorcismos. A finalidade dos escrutínios é purificar a mente e o coração, ser defesa contra as tentações, rectificar as intenções, despertar as vontades, para que os catecúmenos se unam mais estreitamente a Cristo e se empenhem mais fortemente no amor de Deus.
Rica - [155]. O que se exige dos «competentes» é a vontade de alcançar o sentido íntimo de Cristo e da Igreja e deles se espera que progridam no sincero conhecimento de si mesmos, no exame sério da consciência e na penitência verdadeira.

PRIMEIRO ESCRUTÍNIO


Rica - [160]. O primeiro escrutínio celebra-se no III domingo da Quaresma, com os formulários que vêm indicados no Missal e no Leccionário (cf.também mais adiante, nn. 376-377, pp. 246-247).
Homilia
Rica - [161]. N a homilia, o celebrante, apoiando-se nas leituras da Sagrada Escritura, explica o sentido do primeiro escrutínio, tendo em conta tanto a liturgia quaresmal como a caminhada espiritual dos eleitos.
Oração em silêncio
Rica - [162]. Depois da homilia, os eleitos aproximam-se com os padrinhos e as madrinhas e ficam de pé diante do celebrante. O celebrante, dirigindo-se primeiro aos fiéis, convida-os a orarem em silêncio pelos eleitos, implorando para eles o espírito de penitência, o sentido do pecado e a verdadeira liberdade dos filhos de
Deus. E m seguida, voltando-se para os catecúmenos, convida-os igualmente a orarem em silêncio e exorta-os a que manifestem também os seus sentimentos de penitência por uma atitude corporal, inclinando-se ou ajoelhando. Por fim conclui com estas palavras ou outras semelhantes: Eleitos de Deus, inclinai-vos (ou: ajoelhai) e orai.
Os eleitos inclinam-se ou ajoelham. E todos oram durante algum tempo em silêncio. Em seguida, se for oportuno, todos se levantam.
Preces pelos eleitos
Rica - [163]. Seguem-se as preces pelos eleitos. Enquanto decorrem, os padrinhos e as madrinhas põem a mão direita sobre o ombro de cada eleito.
Celebrante: Oremos por estes eleitos, que a Igreja, cheia de confiança, escolheu depois de um longo caminho, para que, ao completarem a preparação, encontrem a Cristo nos seus sacramentos nas próximas festas pascais.
Leitor: Para que estes eleitos meditem em seu coração na palavra divina e a saboreiem sempre cada vez mais, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que reconheçam em Cristo Aquele que veio salvar os que estavam perdidos, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que humildemente se confessem pecadores, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que sinceramente rejeitem tudo o que na sua vida desagradou a Cristo e a Ele se opõe, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que o Espírito Santo que conhece os corações de todos, os robusteça com a sua força, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que aprendam do mesmo Espírito Santo a conhecer o que é de Deus e do seu agrado, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que as famílias destes eleitos ponham a sua esperança em Cristo e n’Ele encontrem a paz e a santidade, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que também nós, que preparamos as festas pascais, purifiquemos a nossa mente, elevemos o nosso coração e pratiquemos as obras de caridade, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que no mundo inteiro os fracos encontrem força, ganhem ânimo os abatidos, os que andam perdidos sejam encontrados e os que forem encontrados sejam reunidos, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.

Conforme as várias circunstâncias, assim se hão-de adaptar a admonição do celebrante e as invocações. Além disso, a estas preces deve acrescentar-se a habitual súplica pelas necessidades da Igreja e do mundo inteiro, no caso de, após a despedida dos catecúmenos, se omitir a Oração universal na celebração eucarística (cf. n. 166, p. 98). Outra forma de preces à escolha no n. 378 , p. 249.

Exorcismo
Rica - [164]. Depois das preces, o celebrante, voltado para os eleitos, diz, com as mãos juntas:
Oremos.Senhor nosso Deus, que nos enviastes o vosso Filho como Salvador, olhai para estes catecúmenos
que, como a Samaritana, desejam a água viva. Convertei-os pela vossa palavra e levai-os a confessarem-se prisioneiros dos seus próprios pecados e fraquezas. Não permitais que eles, levados por falsa confiança em si próprios, se deixem enganar pela astúcia do demónio, mas livrai-os do espírito da mentira,
para que, reconhecendo os seus pecados, sejam purificados no seu espírito e entrem pelo caminho da salvação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Todos: Amen.
Em seguida, o celebrante, se o puder fazer sem incómodo, impõe a mão, em silêncio, sobre cada um dos eleitos. Depois, estendendo as mãos sobre os eleitos, continua: Senhor Jesus, Vós sois a fonte de que estes eleitos têm sede e o mestre que eles procuram. Só Vós sois verdadeiramente santo e na vossa presença eles não ousam proclamar-se inocentes, antes abrem confiadamente o seu coração, para mostrarem as suas manchas
e descobrirem as feridas ocultas. Por vosso amor, libertai-os das suas enfermidades, dai-lhes saúde, que estão doentes, dessedentai-os, que têm sede, e dai-lhes a vossa paz.
Pelo poder do vosso nome, que nós invocamos com fé, vinde, Senhor, e dai-lhes a salvação. Exercei o vosso poder sobre o espírito do mal, que vencestes com a vossa ressurreição. No Espírito Santo mostrai o caminho aos vossos eleitos, para caminharem para o Pai, e O poderem adorar em verdade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo.
Todos: Amen.
Outra forma de exorcismo à escolha no n. 379, p. 250. Se for oportuno, canta-se um cântico apropriado, escolhido, por
exemplo, de entre os salmos 6, 25 (26), 31 (32), 37 (38), 38 (39), 39 (40), 50 (51), 114 (115), 129 (130), 138 (139), 141 (142).
Despedida dos eleitos
Rica - [165]. Depois o celebrante despede os eleitos, dizendo: Eleitos, voltareis a reunir-vos para o próximo escrutínio.
O Senhor esteja sempre convosco. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe.


Eleitos: Os eleitos retiram-se. Se houver razões para não saírem (cf. Preliminares particulares da iniciação dos adultos, n. 19, § 3, p. 27) e tiverem, por isso, de ficar com os fiéis, embora assistam à Eucaristia não participem nela como se já fossem batizados. No caso de se não celebrar a Eucaristia, canta-se, se for oportuno, um cântico apropriado, e despedem-se os fiéis juntamente com os eleitos.



SEGUNDO ESCRUTÍNIO


Rica - [167]. O segundo escrutínio celebra-se no IV domingo da Quaresma, com os formulários que vêm indicados no Missal e no Leccionário (cf. também mais adiante, nn. 380-381, p. 251).

Homilia
Rica - [168]. N a homilia, o celebrante, apoiando-se nas leituras da Sagrada Escritura, explica o sentido do segundo escrutínio, tendo em conta tanto a liturgia quaresmal como a caminhada espiritual dos eleitos.

Oração em silêncio
Rica - [169]. Depois da homilia, os eleitos aproximam-se com os padrinhos e as madrinhas e ficam de pé diante do celebrante. O celebrante, dirigindo-se primeiro aos fiéis, convida-os a orarem em silêncio pelos eleitos, implorando para eles o espírito de penitência, o sentido do pecado e a verdadeira liberdade dos filhos de Deus. Em seguida, voltando-se para os catecúmenos, convida-os igualmente a orarem em silêncio e exorta-os a que manifestem
Também os seus sentimentos de penitência por uma atitude corporal, inclinando-se ou ajoelhando. Por fim conclui com estas palavras ou outras semelhantes:
Eleitos de Deus, inclinai-vos (ou: ajoelhai) e orai. Os eleitos inclinam-se ou ajoelham. E todos oram durante algum tempo em silêncio. Em seguida, se for oportuno, todos se levantam.

Preces pelos eleitos
Rica - [170]. Seguem-se as preces pelos eleitos. Enquanto decorrem, os padrinhos e as madrinhas põem a mão direita sobre o ombro de cada eleito.
Celebrante: Oremos por estes eleitos, a quem Deus chamou, para que sejam santos na presença do Senhor e dê em testemunho da palavra de Deus, fonte de vida eterna.
Leitor: Para que estes eleitos ponham a sua confiança na verdade de Cristo, alcancem e conservem sempre a liberdade de espírito e de coração, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.

Leitor: Para que, contemplando a sabedoria da cruz, ponham a sua glória em Deus que confunde a sabedoria deste mundo, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que a força do Espírito Santo os liberte e os faça passar do temor à confiança, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que se tornem homens espirituais que em tudo procuram o que é justo e santo, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que todos os que são perseguidos por causa do nome de Cristo sintam a sua ajuda e proteção, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que às famílias e aos povos que são impedidos de abraçar a fé seja dada a liberdade de acreditarem no Evangelho, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que todos nós, presentes no meio do mundo, permaneçamos fiéis ao espírito do Evangelho, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que todos os homens descubram que o Pai os ama, e cheguem à plena liberdade de espírito na Igreja, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.

Conforme as várias circunstâncias, assim se hão-de adaptar a admonição do celebrante e as invocações. Além disso, a estas preces deve acrescentar-se a habitual súplica pelas necessidades da Igreja ne do mundo inteiro, no caso de, após a despedida dos catecúmenos, se omitir a Oração universal na celebração eucarística (cf. n. 173, p.103).
Outra forma de preces à escolha no n. 382, p. 253.


Exorcismo
Rica - [171]. Depois das preces, o celebrante, voltado para os eleitos, diz, com as mãos juntas:
Oremos.
Pai de infinita misericórdia, que destes ao cego de nascença a fé em vosso Filho para que entrasse no reino da vossa luz, fazei que os vossos eleitos aqui presentes sejam libertados das ilusões que os envolvem e os cegam e concedei-lhes a graça de se enraizarem firmemente na verdade para se tornarem filhos da luz e assim permanecerem para sempre. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Todos: Amem.

Em seguida, o celebrante, se o puder fazer sem incómodo, impõe a mão, em silêncio, sobre cada um dos eleitos. Depois, estendendo as mãos sobre os eleitos, continua:

Senhor Jesus, luz verdadeira que iluminais todos os homens, pelo vosso Espírito de verdade libertai todos aqueles que estão dominados pelo demónio, pai da mentira, e nestes eleitos, que escolhestes para os vossos sacramentos, despertai o amor do bem, para que, inundados pela vossa luz, se tornem, como o cego a quem outrora restituístes a vista, firmes e corajosas testemunhas da fé. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo.
Todos: Amem.

Outra forma de exorcismo à escolha no n. 383 , p. 254. Se for oportuno, canta-se um cântico apropriado, escolhido, por exemplo, de entre os salmos 6, 25 (26), 31 (32), 37 (38), 38 (39), 39 (40), 50 (51), 114 (115), 129 (130), 138 (139), 141 (142).

Continua a celebração.



Despedida dos eleitos ao final da celebração. 


TERCEIRO ESCRUTÍNIO


Rica - [174]. O terceiro escrutínio celebra-se no V domingo da Quaresma, com os formulários que vêm indicados no Missal e no Leccionário (cf. também mais adiante, nn. 384-385, pp. 255-256).
Homilia
Rica - [175]. Na homilia, o celebrante, apoiando-se nas leituras da Sagrada Escritura, explica o sentido do terceiro escrutínio, tendo em conta tanto a liturgia quaresmal como a caminhada espiritual dos eleitos.

Oração em silêncio

Rica - [176]. Depois da homilia, os eleitos aproximam-se com os padrinhos e as madrinhas e ficam de pé diante do celebrante.
O celebrante, dirigindo-se primeiro aos fiéis, convida-os a orarem em silêncio pelos eleitos, implorando para eles o espírito de penitência, o sentido do mistério do pecado e da morte e a esperança dos filhos de Deus na vida eterna.
 Em seguida, voltando-se para os catecúmenos, convida-os igualmente a orarem em silêncio e exorta-os a que manifestem também os seus sentimentos de penitência por uma atitude corporal, inclinando-se ou ajoelhando. Por fim conclui com estas palavras ou outras semelhantes: Eleitos de Deus, inclinai-vos (ou: ajoelhai) e orai.

Os eleitos inclinam-se ou ajoelham. E todos oram durante algum tempo em silêncio. Em seguida, se for oportuno, todos se levantam.

Preces pelos eleitos
Rica - [177]. Seguem-se as preces pelos eleitos. Enquanto decorrem, os padrinhos e as madrinhas põem a mão direita sobre o ombro de cada eleito.
Celebrante: Oremos por estes eleitos de Deus, para que, ao tornarem-se semelhantes a Cristo na morte e na ressurreição, alcancem a vitória sobre a morte pela graça dos sacramentos.
Leitor: Para que estes eleitos sejam fortes na fé contra os enganos do mundo, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que se mostrem agradecidos a Deus que os escolheu, lhes deu a conhecer a esperança da vida eterna e os introduziu no caminho da salvação, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que, pelo exemplo e pela intercessão daqueles catecúmenos que derramaram o seu sangue por Cristo, sintam cada vez mais firme em si próprios a esperança da vida eterna, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que todos detestem o pecado que destrói a vida, oremos ao
Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que os que se sentem tristes pela morte dos seus, encontrem em Cristo a sua consolação, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que nós próprios, ao vermos chegar as solenidades pascais, tenhamos a firme esperança de ressuscitar com Cristo, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.
Leitor: Para que o mundo inteiro, que Deus criou por amor, se renove Continuamente na fé e na caridade, oremos ao Senhor.
R. Ouvi-nos, Senhor.

Conforme as várias circunstâncias, assim se hão-de adaptar a admonição do celebrante e as invocações. Além disso, a estas preces deve acrescentar-se a habitual súplica pelas necessidades da Igreja e do mundo inteiro, no caso de, após a despedida dos catecúmenos, se omitir a Oração universal na celebração eucarística (cf. n. 180, p. 108). Outra forma de preces à escolha no n. 386, p. 257.

Exorcismo
Rica - [178]. Depois das preces, o celebrante, voltado para os eleitos, diz, com as mãos juntas:
Oremos. Senhor, Pai santo, fonte da vida eterna, Deus dos vivos e não dos mortos, que enviastes o vosso Filho a anunciar a vida aos homens para os libertar do reino da morte e os conduzir à ressurreição, livrai estes vossos eleitos do poder da morte que vem do espírito maligno, para que recebam a vida nova de Cristo ressuscitado e dela possam dar testemunho. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.
Todos: Amem.

Em seguida, o celebrante, se o puder fazer sem incómodo, impõe a mão, em silêncio, sobre cada um dos eleitos. Depois, estendendo as mãos sobre os eleitos, continua:

Senhor Jesus Cristo, que, ao ressuscitar Lázaro de entre os mortos, nos destes um sinal de que tínheis vindo
para que os homens tivessem a vida, e a tivessem em abundância, livrai da morte os que buscam a vida nos vossos sacramentos, libertai-os do espírito do mal, e, pelo vosso Espírito que dá a vida, comunicai-lhes a fé, a esperança e a caridade, para que vivam eternamente convosco e participem da glória da vossa ressurreição.
Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo.
Todos: amem.

Outra forma de exorcismo à escolha no n. 387, p. 259. Se for oportuno, canta-se um cântico apropriado, escolhido, por exemplo, de entre os salmos 6, 25 (26), 31 (32), 37 (38), 38 (39), 39 (40), 50 (51), 114 (115), 129 (130), 138 (139), 141 (142).


Despedida dos eleitos: Ao final da celebração


Fonte:RICA
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Olá, se esse post ajudou você de alguma forma, deixe seu comentário ele é muito importante para nós.

Tecnologia do Blogger.